A PEC das jornalistas mulheres é urgente!

Pesquisa recente realizada pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) aponta que a maioria dos jornalistas contratados na atualidade é mulher e ganha, no máximo, o equivalente a cinco salários mínimos.

O relatório com a síntese da pesquisa “Perfil do Jornalista Brasileiro”, que  foi desenvolvido pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da UFSC em convênio com a Fenaj, mostrou que as mulheres compõem 64% do universo dos profissionais que estão em atividades, 98% da categoria tem formação superior, 59,9% recebem até cinco salários mínimos, aproximadamente 50% trabalham mais de oito horas por dia e 27% trabalham em mais de um emprego.

Um detalhe expressivo apontado pelo estudo é que as mulheres jornalistas, mais jovens, ganham menos do que os homens; são maioria em todas as faixas até cinco salários mínimos e minoria em todas as faixas superiores a cinco salários mínimos. E são minoritárias nos cargos de chefia nos veículos e órgãos de comunicação.

O presidente da Fenaj, Celso Schröder, avalia que os resultados deste estudo permitirão às entidades sindicais dos jornalistas buscarem maior sintonia com a categoria. “Os resultados apontam, por exemplo, a perspectiva de reforçarmos a luta das mulheres por igualdade de oportunidades, condições de trabalho e de salários”, diz.

Para ter acesso a pesquisa, acesse o link: http://fenaj.org.br/relinstitu/pesquisa_perfil_jornalista_brasileiro.pdf